Artigo: A voz do Senhor é majestosa



Deus pode falar com os seus servos de várias formas, Ele pode usar situações da vida, uma planta como foi o caso da sarça ardente diante de Moisés, pode fazer sinais através de uma estrela como no nascimento de Jesus. Na minha opinião, as formas mais diretas de se ouvir a voz de Deus é através da testificação no espírito (Romanos 08:16) e da profecia (I Co 14:03). Desde que voltei ao evangelho em 1996, tenho visto o anseio de vários cristãos quanto à necessidade de discernir a voz de Deus, esta necessidade vem acompanhada com desejo de se relacionar com o Pai. Durante a minha infância e adolescência tive a oportunidade de crescer num ambiente repleto de momentos de oração. Minha mãe costumava me levar em vários grupos de oração que aconteciam na Igreja ou mesmo nas casas dos irmãos. Durante este período pude ver situações diversas, como pessoas clamando a Deus por uma resposta, pedidos de cura, transformação, bênçãos financeiras, sentimentais, entre outros. Sempre havia o desejo, e este era compartilhado de maneira geral, em se ouvir a voz de Deus. Vi muitas pessoas sendo usadas por Deus para profetizar, em outros momentos vi pessoas deixando a "carne falando". Terrível! Não há palavras que possam explicar o sentimento, ou mesmo a sensação de se ouvir a voz de Deus. É algo indescritível. Pensar que o mesmo Deus que criou a terra, o mar, os céus, o universo, que marcou a história da humanidade através da morte e ressurreição do seu filho, que vive de eternidade a eternidade, pode se comunicar comigo. Isto é algo formidável.

Pessoalmente sempre busquei desenvolver a percepção em ouvir a voz de Deus, particularmente quando o Senhor usa alguém em profecia pra falar comigo, geralmente Ele confirma aquilo que já ministrou no meu Espírito. Você talvez esteja perguntando, como posso discernir esta voz? Olhando para o prisma da palavra, o Espírito de Deus sempre testificará a sua vontade no nosso espírito, que é o local onde recebemos dele a revelação. Este é o primeiro ponto. Segundo, a palavra de Deus nos leva a sua vontade que é boa, perfeita e Agradável (Rm 12:02). Não há como receber uma palavra de Deus sem passar por estes pontos. Vamos entender o significado destas três palavras. 1. Boa: inspira bondade e misericórdia, mesmo que seja uma palavra de correção, está é dada por que Ele nos ama (Jo 03:16) e o fim será a Edificação. 2. Perfeita: não há erro, a palavra de Deus é e sempre será assertiva em qualquer situação, sendo a verdade absoluta, viva e eficaz que pode dividir corpo, alma e espírito (Hb 04:12). Esta palavra é a verdade e ela não passará (Mt 24:35). 3. Agradável: Ela gera em nós um sentimento aprazível, quando recebemos uma palavra de Deus, a sensação é de cuidado, ao mesmo tempo de amor, somos envolvidos pela sua graça

Se você recebeu alguma palavra dita ser de Deus e esta não passou pelo crivo acima relacionado, pode ter certeza que não é uma palavra vinda do Pai. Reforço, que a ovelha conhece a voz do seu pastor. Se você ainda não conseguiu discenir esta voz, busque-o de todo o seu coração e tenha certeza que o encontrarás. Ele está atento à oração do justo, e se compras em se relacionar com o seus filhos. Num tempo onde a verdadeira profecia tem sido escassa, onde temos mais exemplos de "profetadas" do que efetivamente profecias vindas do Espírito de Deus, precisamos buscar entendimento e reconhecimento da verdadeira voz do Senhor. O Salmista declara que a Voz do Senhor é Majestosa, ou seja, ela reflete os atributos de Deus. Na Bíblia a voz de Deus se mescla com a sua presença, vontade, poder e soberania. Não é por acaso que no Jardim do Éden Adão ouvia e se relacionada com a Voz que "passeava" pelo Jardim (Gen. 03:08) na viração do dia. Quero te convidar a busca-lo com o intuito de o amar acima de todas as coisas. Quem ouve esta voz, é marcado pelo resto da sua vida.


Mas o que profetiza fala aos homens, para edificação, exortação e consolação. I Coríntios 14:3


Em Cristo,
Bruno Nakakura.

Licença Creative Commons

Esta obra foi licenciada sob uma Licença Creative Commons.




comments powered by Disqus
© 2014 Bruno Nakakura - Todos os direitos reservados