Artigo: As características da chamada ministerial



Por Pr. João Ceno

Ser chamado por Deus para trabalhar na Obra é sem dúvida algo extraordinário. Enquanto a salvação está para todos, o chamado ministerial é específico e apenas para aqueles a quem Ele escolhe. Embora isso seja maravilhoso, não podemos esquecer que junto desta chamada, vem uma grande e inevitável responsabilidade. Ganhar almas, cuidar do rebanho, edificar vidas, etc. São ações que repercutem no mundo espiritual. E isso faz com o que o trabalho ministerial seja muito diferente do secular.

A capacidade para fazê-lo, é dada por Deus, mas a busca, o esforço constante em executar da melhor maneira deve ser do homem. E aí, mais uma vez a bíblia é a nossa referência maior, ela nos apresenta as características fundamentais que devem ser cultivadas para que a chamada e o ministério possam ser desenvolvidos na sua plenitude. A primeira característica que encontramos para o alicerce de um ministério profícuo é o caráter. O apóstolo Paulo quando escreveu ao jovem Timóteo, destacou as características do obreiro e usou o termo, "irrepreensível", ao ler o contexto entendemos que, Paulo estava falando da necessidade do obreiro evidenciar um bom caráter.

Ao continuar analisando Paulo, observamos outra característica fundamental para o bom exercício do ministério, o amor pelas vidas. Embora pareça óbvio, temos visto pessoas que não demonstram mais em sua chamada este sentimento. Paulo na segunda carta a Timóteo no capítulo dois, ele após relatar o seu intenso sofrimento, salienta: "…tudo sofro por amor dos escolhidos, para que também eles alcancem a salvação que está em Cristo Jesus…", ou seja, muitas vezes é preciso sofrer pelas vidas que Cristo nos confiou. O motivador da chamada deve ser o amor pelas vidas.

Outro traço importante na chamada ministerial é principio da autoridade. Diferente do que se vê no trabalho secular, no ministério este principio é caracterizado pelo desejo de servir. Pode parecer estranho, mas é assim no Reino dos céus. Paulo explica isso usando o modelo de Cristo, quando escreveu aos Filipenses. "…sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens;… Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome; Fp 2.7,9. Para ter autoridade no ministério é necessário servir.

Mas se a base é o caráter, a motivação é o amor pelas vidas e o segredo da autoridade é o desejo de servir, as ferramentas de trabalho são a Palavra de Deus e a oração. No início da igreja primitiva os discípulos precisaram instituir os diáconos para executar algumas tarefas, de modo que pudessem ter mais tempo para se dedicar a estas ferramentas. "…nós perseveraremos na oração e no ministério da palavra." Atos 6:4. Os discípulos perceberam que só poderiam cumprir a chamada na sua plenitude se fossem dedicados a oração e o estudo das escrituras.

Não podemos deixar nos envolver pelas atividades administrativas de modo a não ter tempo para utilizar as ferramentas de trabalho. Ser chamado por Deus é uma honra, cumprir com responsabilidade e dedicação deve ser a nossa prioridade.


Deus abençoe,
Pastor João Ceno Ohlweiler

Fonte: http://www.ciadescp.com.br/site/pastor-joao-ceno-fala-sobre-as-caracteristicas-da-chamada-ministerial/




comments powered by Disqus
© 2014 Bruno Nakakura - Todos os direitos reservados